Assim como outros tipos de negócios, o e-commerce também está suscetível ao recolhimento de impostos, os quais são aplicáveis sobre a venda de produtos ou serviços oferecidos. Há uma legislação específica que trata especificamente dos impostos no e-commerce e passou a valer em 1º de janeiro de 2016.

 

Mas ainda há muitas dúvidas sobre esse assunto e, para esclarecê-las, preparamos este artigo! Continue com a gente e saiba mais!

Como são aplicados os impostos no e-commerce?

Em linhas gerais, a tributação de uma loja virtual é semelhante à de uma loja física. O que mudou foi o imposto pago. Segundo a Emenda Constitucional 87/2015, foi criada uma sistemática nova para o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços), incidente sobre as vendas. A partir de então, ele passa a ser dividido entre os estados de origem e de destino, podendo gerar um pouco mais de burocracia.

Tributação nos e-commerces de produtos

Os e-commerces são tributados da seguinte forma:

 

  • Lojas virtuais que compram e revendem seus produtos somente no ambiente virtual;
  • Lojas virtuais que distribuem no meio online, mas seus fornecedores atendem no meio físico.

 

Um e-commerce que se enquadra no primeiro item, terá de pagar tributos (ICMS) nas vendas feitas para pessoas físicas e jurídicas que não contribuem ao ICMS. A alíquota utilizada refere-se ao estado em que está a loja virtual. O ICMS pode chegar a 19% de cada venda (mas, geralmente, são praticados 7%). A alíquota é de 7% porque a conta foi simplificada para dar crédito às empresas.

 

Funciona assim: você subtrai a alíquota menor da maior e o percentual que sobrar será o que você terá que pagar. Exemplo: 19% do estado de destino – 12% do de origem = 7%.

 

O e-commerce também é tributado no PIS e COFINS — incidentes sobre o faturamento total, o IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) e a CSLL (Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido), os quais incidem sobre os resultados operacionais da loja online.

 

No segundo caso não há qualquer diferença entre a tributação do e-commerce com as lojas físicas. Ainda há cobrança de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) se ele for o fabricante ou importar o produto de outro país. Vale ressaltar que alguns produtos podem receber descontos nessa tributação.

Tributação dos e-commerces de serviços

Nos e-commerces de serviços, os impostos pagos são o ISS – Imposto Sobre Serviços, COFINS e PIS, que incidem sobre o valor do serviço prestado, além de IRPJ e CSLL sobre os resultados operacionais do negócio.

O que mudou na tributação?

Como mencionado, os e-commerces devem seguir uma nova regulamentação desde o início de 2016. Veja o que mudou:

Antes de 2016

O e-commerce gerava a nota fiscal eletrônica e imprimia duas vias; adicionava uma das vias e entregava uma delas juntamente o produto. Depois, enviava o produto e pagava uma guia do imposto SIMPLES nacional ao fim de cada mês.

A partir de 2016

Agora, o e-commerce gera a nota fiscal eletrônica e imprime duas guias, verifica a alíquota de ICMS do seu estado e do cliente e paga duas vias: uma de 60% do valor devido ao estado de origem do produto e outra de 40% ao estado que o pedido será entregue.

Como lidar com a tributação?

Da mesma forma que outros tipos de negócio, os impostos no e-commerce exigem um bom planejamento tributário. É importante levar em conta a forma mais vantajosa de tributação e o modus operandi da empresa, além de contar com os serviços de um contador.

 

Manter as obrigações em dia evita problemas futuros com a Receita Federal, que pode interromper as atividades por improcedência dos dados.

 

Responderemos as perguntas mais frequentes acerca dos aspectos legais do e-commerce.

 

Resolvemos a suas dúvidas? Deixe um comentário contando o que achou e compartilhando outras possíveis dúvidas!

 

Não se esqueça de inscrever em nosso blog. Toda semana temos vários posts com muitas dicas e novidades para fazer o seu negócio ir a mil! Siga a gente em nossas redes sociais também: Twitter, Facebook, Instagram eYouTube.


Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email

Não perca nenhuma novidade!

Inscreva-se em nossa newsletter para receber em seu e-mail as novidades e posts recentes da iSET

Novidades iSET

Nossas redes sociais