Solução antifraude: o que é e quais as vantagens para o e-commerce?

Não há dúvidas que o e-commerce trouxe mais conveniência e praticidade para o dia a dia dos consumidores, principalmente em tempos nos quais o seu uso está absolutamente disseminado em todo o mundo.

E isso acontece, entre outros motivos, porque as pessoas perceberam que é possível comprar com segurança, ao mesmo tempo em que lojistas virtuais já entenderam que é possível vender sob essa mesma condição.

O que nem todos já entenderam é o que torna isso possível e o quão complexo pode ser este trabalho.

Afinal de contas, assim como acontece com toda tecnologia que traz oportunidades ao mercado, fraudadores se especializaram em utilizá-la para atacar lojas virtuais e lesar pessoas e empresas.

Os criminosos aperfeiçoaram, ao longo dos tempos, as formas como conseguem dados de bons consumidores, incluindo os de cartões de crédito, para comprar produtos e serviços pelos quais jamais vão pagar.

A questão é que o consumidor tem um recurso, criado pelas operadoras de cartões de crédito, para protegê-lo contra esse tipo de golpe: o estorno (mais conhecido no mercado como chargeback).

Com este mecanismo, basta ao consumidor entrar em contato com a operadora para dizer que não reconhece a compra e, com poucas etapas de comprovação, tem este valor estornado em sua fatura.

O problema, no entanto, é que, ao mesmo tempo em que protege o consumidor, o mecanismo do chargeback deixa completamente vulnerável o lojista online, que assume todo o prejuízo da fraude. Pior ainda: muitos empreendedores do e-commerce só descobrem isso após sofrer a primeira perda.

E é aí que entra a importância de uma solução antifraude eficiente para o e-commerce. Com ela, empresas e pessoas conseguem ter tecnologia e inteligência humana especializada para garantir a segurança de todo o ecossistema e manter todas as partes desse relacionamento livres para realizar transações com confiança e credibilidade.

Conheça um pouco mais sobre o sistema antifraude.

 

Clique aqui e leia nosso post com 5 dicas para você melhorar a credibilidade da sua loja virtual

 

O que é um sistema antifraude?

O sistema antifraude é a combinação entre tecnologia, inteligência humana e ações específicas nas análises de pedidos, com o objetivo de prevenir e combater a fraude em um e-commerce.

É um trabalho que pode ser feito tanto por equipes internas, quanto por um parceiro especializado (o que, inclusive, é altamente recomendável). Veja algumas diferenças importantes entre ambos os casos.

 

 

Gestão completa e gestão própria

Fazer a gestão antifraude de um e-commerce não é uma tarefa simples, embora muitos lojistas, sob a ilusão de conseguir uma economia de custos, optem por fazer este trabalho internamente, sem contratar um parceiro especializado neste tipo de trabalho.

O problema da gestão interna, no entanto, é que mesmo que bem feita, esbarra em questões como visão limitada à própria loja, alto custo de manutenção das equipes, dificuldades no desenvolvimento de tecnologia e falta de escalabilidade nas análises.

Ou seja, se a loja começa a crescer, o tempo de resposta para cada pedido aumenta, a taxa de reprovação de bons pedidos tende a seguir o mesmo caminho e a fraude, ainda que pareça controlada, começa a causar um prejuízo ainda maior.

Por isso, contar com um parceiro especializado, com uma visão completa do mercado, capaz de colocar todo um efeito de rede de proteção à serviço da loja, é sempre o caminho mais indicado. Com ele, o lojista virtual pode deixar a árvore de decisão nas mãos de quem realmente entende, com a certeza de que os indicadores mais importantes deste trabalho estarão sempre em equilíbrio.

Geralmente, isso é feito por meio de integrações simples, nas quais todos os pedidos passam pela análise do sistema antifraude, que fica com a responsabilidade de aprovar ou reprovar as transações.

Sabia que criar uma loja virtual é muito mais fácil que você imagina?

 

Antifraude com garantia e sem garantia

Na ClearSale, por exemplo, ainda é possível ao lojista virtual escolher se quer ou não ter a garantia de chargeback. Isso quer dizer que, para pedidos com gestão total do parceiro antifraude, há a opção de reembolso para prejuízos decorrentes de uma eventual fraude que o sistema não barrou.

A escolha pela modalidade (com ou sem garantia) vai depender, obviamente, da especificidade de cada negócio. No caso da ClearSale, há uma orientação detalhada da equipe comercial da empresa sobre o que faz mais sentido e é mais aconselhável no que diz respeito ao investimento do lojista para obtenção dos melhores resultados.

 

Benefícios para loja virtual

Contar com um sistema antifraude eficiente é vital para a sobrevivência de uma loja virtual. Com ele, o lojista pode focar em seu core business com a certeza que não perderá clientes por reprovações indevidas, oferecerá a melhor experiência de compra (sem diversas etapas para concluir um pagamento e sem demora para aprovação) e terá a taxa de chargeback sempre muito controlada.

Além disso, a visão limitada não será mais uma armadilha. Afinal de contas, o efeito de rede criado por um parceiro com décadas de expertise permite que todo e qualquer ataque identificado em alguma loja ajude a proteger, imediatamente, todas as outras.

 

Entre os diversos meios de pagamento disponíveis no mercado atualmente, você sabe definir qual a melhor opção para sua loja virtual? Veja alguns meios de pagamento aqui!

 

Tipos de fraude mais comuns no e-commerce

A fraude acontece por meio de inúmeros métodos e das mais variadas formas, mas alguns tipos são considerados mais comuns, recorrentes e conseguem abranger, de alguma forma, todas as alternativas vistas pelos fraudadores hoje em dia.

 

 

Fraude limpa

Considerado o tipo mais simples e recorrente, a fraude limpa ocorre em clonagens de cartões, roubo ou vazamento de dados, etc. Ela é chamada de limpa pelo fato do fraudador ter dados corretos da vítima, muitas vezes com o uso de um cartão de crédito falso, dificultando a identificação da ação fraudulenta.


Fraude amigável

É chamada de amigável porque, via de regra, não se trata de uma ação com má-fé envolvida. Neste caso, a pessoa que utilizou dados de cartão ou dados bancários verdadeiros é uma pessoa próxima do titular da conta, como um parente ou amigo, mas que não informou o mesmo no ato da compra. Com isso, a ‘vítima’ contesta a compra por não saber que a pessoa utilizou seus dados para efetuar a transação.

 

Autofraude

A autofraude acontece quando o próprio titular da conta ou do cartão efetua uma compra, ou transação e depois a contesta, como se não reconhecesse aquela dívida. Para simplificar, vale um exemplo: uma pessoa compra um produto pela internet usando um cartão de crédito e, após o recebimento em sua residência, entra em contato com a administradora do cartão para contestar aquele lançamento na fatura, mesmo tendo ficado com o produto.

Leia também:

Não se esqueça de inscrever em nosso blog. Toda semana temos vários posts com muitas dicas e novidades para fazer o seu negócio ir a mil! Siga a gente em nossas redes sociais também: Twitter, Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube.


Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email

Não perca nenhuma novidade!

Inscreva-se em nossa newsletter para receber em seu e-mail as novidades e posts recentes da iSET

Novidades iSET

Nossas redes sociais