fbpx

Os buscadores são o “oráculo” do mundo moderno. Dos problemas mais complexos às dúvidas mais simples, o Google e outros mecanismos de pesquisa são hoje a ponte que liga o consumidor a todas as soluções que o mercado oferece.

 

O que muita gente não sabe é que por trás dessa inovação um tanto simples, mas muito engenhosa, existe um universo de algoritmos, ferramentas, profissionais e estratégias ― entre elas, o SEO ― fazendo com que tudo isso aconteça.

 

Tudo começa com os crawlers, os robôs dos buscadores que fazem visitas regulares nos sites para atualizar os dados exibidos nas SERPs, as páginas de resultados. Dessa forma, se você deseja que suas páginas apareçam corretamente e conquistem bons resultados nas pesquisas do seu público, é fundamental que você seja um bom anfitrião.

 

Está difícil de entender? Então continue conosco para saber tudo sobre SEO!

O que é SEO?

SEO significa Search Engine Optimization, ou Otimização para Motores de Busca. A origem do termo é controversa, mas sabe-se que ele não é uma novidade. Em 1997 já existiam obras e páginas na internet mencionado a sigla e suas funções.

 

Hoje, porém, sua concepção é muito mais abrangente. Muito mais do que um conjunto de normas e técnicas, o SEO se tornou uma forte área do Marketing de Conteúdo que envolve empresas e profissionais especializados do mundo inteiro.

 

O maior responsável por essa ascensão é o Google, o buscador que responde por cerca de 93% de todas as buscas realizadas em todo o mundo. O serviço é tão consolidado que se tornou o ponto de partida até dos usuários que já sabem para onde ir ― as pessoas preferem pesquisar o nome do site que pretendem visitar e acessá-lo pelo Google do que digitar a URL completa no navegador.

 

A liderança não se deu por acaso. A empresa investe muito na experiência dos usuários e na qualidade dos seus serviços, inclusive aumentando o rigor na avaliação dos sites, que têm se debruçado sobre fatores de rankeamento cada vez mais específicos.

 

Você sabe exatamente o que é marketing digital, como ele funciona e quais os seus benefícios para seu e-commerce? Leia nosso post para aprender tudo sobre o assunto

Como o Google funciona?

Antes de mais nada, precisamos entender como os resultados do grande buscador são definidos e apresentados aos usuários. Você certamente já se familiarizou com eles, mas já parou para pensar nos “bastidores” dessa lista de soluções chamada SERP, ou Search Engine Results Page (página de resultados de busca)?

 

Quando fazemos uma pesquisa qualquer, o Google nos apresenta os links patrocinados e os resultados orgânicos. Os primeiros são frutos de campanhas realizadas no Google Ads, o serviço de publicidade do buscador. Há uma espécie de leilão de palavras-chave no qual aqueles que dão os melhores lances são listados nesses resultados.

 

Na sequência, temos os resultados orgânicos, aqueles que chegaram ali por “mérito” (em termos de SEO) e são exibidos por ordem de relevância. Quão melhor for o conteúdo da página e quão bem otimizada ela for, maiores as suas chances de figurar no primeiro lugar ou nos boxes chamados de Featured Snippets, que exibem um fragmento do conteúdo diretamente na SERP.

 

No entanto (você pode estar pensando), se uma empresa pode usar ferramentas como o Google Ads para colocar as suas páginas no topo das pesquisas, por que ela deveria se preocupar com SEO?

Por que meu conteúdo deve ser otimizado?

Os resultados patrocinados são instantâneos e pouco exigentes, bastam alguns cliques para que seu conteúdo ganhe destaque. Os resultados orgânicos, por sua vez, são mais consistentes e confiáveis por terem a “curadoria” do algoritmo do Google, além de não cobrarem pela exibição. Então, qual deles é melhor?

 

Essa discussão é um tanto relativa. Tudo depende do perfil e dos objetivos do negócio, e não há nenhum impeditivo para a empresa que deseja investir em ambos os caminhos. O que realmente importa em qualquer uma dessas situações é a qualidade da estratégia.

 

Em Marketing Digital, os serviços e as metodologias que usam mídia paga e adotam uma abordagem semelhante à publicidade convencional são reunidas no chamado Outbound Marketing.

 

Já o Inbound Marketing, ou marketing de atração, consiste em disponibilizar conteúdos relevantes e estratégicos para atrair as pessoas certas e guiá-las por meio de um funil de vendas.

 

Powered by Rock Convert

 

No primeiro caso, portanto, a marca vai até o consumidor. No segundo, ela o atrai por meio de conteúdos de valor. O que deve ser pontuado, entretanto, é que, ainda que a sua empresa tenha bons resultados com anúncios, é importante investir em tráfego orgânico, e os principais motivos são:

 

  • relevância: isso pode variar de acordo com o segmento, mas por não serem anúncios, os resultados orgânicos tendem a ser entendidos como mais confiáveis ou genuínos;
  • escalabilidade: embora exija um período maior para se consolidar, o tráfego orgânico é consistente — seus conteúdos permanecem gerando resultados ao longo do tempo;
  • custo-benefício: como seu investimento é pontual — não é necessário criar campanhas regulares —, seu custo-benefício tende a aumentar à medida que seus resultados crescem;
  • autoridade de marca: as empresas que conquistam as primeiras posições nas pesquisas são mais respeitadas, sobretudo por estarem exercendo forte influência no mercado;
  • comportamento de consumidor: o caráter por vezes invasivo da mídia paga tende a incomodar o consumidor moderno, que gosta de tomar as rédeas no processo de compra;
  • relacionamento: as pessoas são mais abertas às marcas que se posicionam como educadoras, uma vez que o valor oferecido por elas vai além dos seus produtos e serviços.

 

Para que todos esses benefícios sejam observados, porém, é imprescindível que seus conteúdos estejam bem otimizados para os motores de busca, e vale destacar que as práticas de SEO não param nos buscadores.

 

Aspectos técnicos do site, autenticidade das informações e elementos de navegação e UX (User Experience, ou experiência do usuário) também são considerados como critérios de rankeamento e contribuem para o desempenho de qualquer página da web, promovida ou não.

Quais são os tipos de otimização?

Agora que você sabe o que é SEO, é hora de nos aprofundarmos um pouco mais e entender como essas otimizações são realizadas. Basicamente, esse trabalho é dividido em duas frentes: o SEO on page (na página) e o SEO off page (fora da página). Confira!

SEO on page

O SEO on page tem como foco as melhorias realizadas dentro do seu site, especialmente em sua página e no conteúdo propriamente dito. De maneira geral, ele aborda os elementos que ajudam a tornar um texto “legível” para os buscadores, como:

 

  • palavras-chave: devem ser relevantes e ser citadas naturalmente ao longo do conteúdo;
  • heading tags: a hierarquia (em HTML) dos títulos do texto;
  • URL: o endereço da página, que deve ser conciso e apresentar a palavra-chave;
  • links internos: links que apontam para outras páginas do seu site;
  • title tag: o título que é exibido nos resultados de busca (também deve ter a palavra-chave);
  • meta description: o pequeno resumo do conteúdo que aparece logo abaixo da title tag.

 

Essa otimização também envolve elementos visuais, como layout, imagens e recursos de engajamento, e técnicos, como responsividade, velocidade de carregamento e recursos de indexação.

 

E-book 6 Estratégias pouco exploradas por quem vende em e-commerce

SEO off page

O SEO off page, por sua vez, trata dos fatores externos ao site e está diretamente relacionado aos seus esforços de divulgação e posicionamento. Os buscadores analisam a qualidade e a confiabilidade de um endereço na web por meio das referências atribuídas a ele. Ou seja, quanto mais páginas linkam e mencionam as suas, maior a sua autoridade.

 

Dessa forma, o objetivo aqui é melhorar a maneira como os outros sites “veem” o seu, e, para isso, as principais práticas trabalhadas são:

 

  • qualidade do conteúdo: naturalmente, quão melhor for o conteúdo, mais ele será citado e linkado por outros;
  • backlinks: estes são os links externos que apontam para o seu site e, por isso, é fundamental desenvolver parcerias (guest posts ou ações de co-marketing) para obtê-los;
  • divulgação em redes sociais: estas plataformas são um excelente espaço para promover o seu conteúdo e ser referenciado.

 

É claro que não para por aí. É importante analisar a reputação dos sites que estão linkando para o seu, já que backlinks de páginas duvidosas podem gerar resultados contrários, e providenciar redirecionamentos adequados para endereços alterados ou excluídos.

Como colocar o SEO em prática?

Estima-se que o Google analise mais de 200 fatores de rankeamento para determinar a relevância e a posição das páginas nas SERPs, mas a maior parte dessas informações não são divulgadas por razões estratégicas.

 

No entanto, algumas trivialidades são frequentemente anunciadas pela companhia e, além disso, profissionais e empresas estão constantemente realizando testes para desvendar os mistérios do buscador. Dessa forma, algumas práticas se mostraram indiscutivelmente essenciais para uma estratégia de SEO. Vejamos as algumas delas a seguir.

Invista em uma estratégia de Marketing de Conteúdo

A qualidade de um conteúdo começa muito antes da sua produção. É necessário adotar um plano de marketing eficiente, construir personas, pesquisar palavras-chave relevantes, criar um calendário editorial e aplicar técnicas de escrita, escaneabilidade e persuasão, o que é conhecido como copywriting.

 

Neste post, conheça mais sobre o e-mail marketing e como ele pode mudar a visão dos seus clientes em relação ao seu negócio!

Crie um blog

Os blogs são a base da sua estratégia de Marketing de Conteúdo. Eles são um espaço que pertence à sua empresa e são o ponto de partida para todas as suas ações de pesquisa e divulgação. Além disso, os blogs deixam claro para os buscadores que a sua marca pretende continuar entregando conteúdos relevantes para o público.

Simplifique códigos e arquivos

Para que seus conteúdos sejam de fácil visualização, milhares de códigos e dezenas de arquivos devem ser carregados com eficiência. Usando ferramentas para reduzir o tamanho deles, você diminui o tempo e o esforço para que os dispositivos carreguem as páginas.

Otimize suas páginas para mobile

Dois fatores de indexação e rankeamento que ganharam destaque nos últimos anos foram o Mobile Friendly e o Mobile First Index. Tendo em vista que a maioria dos acessos hoje são feitos a partir de dispositivos móveis, o Google está literalmente exigindo que os sites se adaptem a essa nova realidade.

 

Saiba como funciona esse tipo de sistema e como ele pode ser útil ao seu negócio.

Crie sitemaps

Por fim, temos os sitemaps, pequenos arquivos nos quais todos os endereços do seu site e suas principais características são listadas. Eles ajudam os crawlers a identificar e atualizar as informações das suas páginas nos mecanismos de pesquisa.

 

Não se esqueça, porém, de que um bom trabalho de SEO exige melhorias constantes. Novas práticas são anunciadas e descobertas todos os anos, por isso, profissionais e empresas devem se manter atualizados.

 

Como você pôde conferir, os benefícios dessas melhorias não se restringem aos buscadores. Elas também são um meio de aumentar a qualidade e o resultado dos seus conteúdos.

 

Agora que você sabe o que é SEO, que tal conferir em detalhes todas as práticas e as principais novidades da área? Confira o Guia Definitivo e Atualizado para Conquistar a Primeira Página no Google!

 

Não se esqueça de inscrever em nosso blog. Toda semana temos vários posts com muitas dicas e novidades para fazer o seu negócio ir a mil! Siga a gente em nossas redes sociais  também:  Twitter,  Facebook,  InstagramLinkedIn YouTube.


Comentários

Comentários

Autor convidado
Os autores convidados do blog iSET são aqueles fazem parceria de Guest Post!
Post criado 96

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo