fbpx

Se seu desejo é entrar no mundo do e-commerce criando uma loja virtual, você está seguindo o caminho certo! Agora, todos já sabemos o grande crescimento do e-commerce principalmente no último semestre, mas e especificamente o e-commerce de alimentos?

 

Bom, o E-Commerce Brasil publicou que uma pesquisa feita em 36 países mostra que no Brasil 53,4% dos consumidores compraram alimentos pela internet em 2019 e 50,3% optaram por serviços online de entrega dos produtos.

 

Além disso, segundo o estudo Global Consumer Insights Survey 2020, da empresa PwC, com o isolamento social causado pela pandemia, 35% dos consumidores estão comprando alimentos pelos canais online e 86% planejam continuar assim após o final das medidas de isolamento social.

 

Aposto que, se você ainda não estava convencido de abrir um e-commerce de alimentos, agora só quer saber logo como criar sua loja virtual o mais rápido possível, acertei? 

 

Quem deseja vender alimentos online deve se preparar para diversas questões, que vão desde a fabricação até o transporte e o armazenamento dos produtos. Seguindo alguns passos, o sucesso do seu empreendimento só dependerá da aprovação do paladar dos consumidores.

 

As possibilidades são muitas. Você já tem uma loja física de produtos alimentícios, porém quer expandir ainda mais seu negócio? Pois saiba que a venda de alimentos pela internet é um ramo muito lucrativo não só para as grandes redes varejistas ou de fast-food (que desenvolveram os primeiros e-commerces do ramo) mas também para os pequenos empreendedores.

 

Com todas essas boas notícias, separei as melhores dicas para como um negócio de alimentos pode criar uma loja virtual para vender pela internet! Continue lendo!

Escolha os produtos certos

Na hora de escolher o alimento que você vai vender online, tenha em mente que o produto não pode ser destruído durante o processo de transporte. Afinal, o consumidor não quer receber algo estragado. Alimentos como balas, biscoitos, cafés, geleias e chás podem ser embalados facilmente.

 

Caso você não saiba preparar produtos alimentícios, considere se tornar afiliado para revender produtos. Outra opção é ter fornecedores.

 

Powered by Rock Convert

Esteja alinhado com a legislação em vigor

Alguns tipos de laticínios, como o iogurte e o queijo, necessitam de um selo de registro do Ministério da Agricultura para serem comercializados. Outros necessitam de embalagens próprias para estejam em conformidade com as leis da vigilância sanitária.

 

Para facilitar o esclarecimento de dúvidas, busque uma unidade do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para se informar sobre todas as legislações que envolvem o tipo de produto alimentício que você deseja vender online.

Forneça as informações no rótulo do produto

Todos os produtos industrializados devem ter um rótulo que detalha a composição do alimento. Liste:

 

  • os ingredientes em ordem decrescente à quantidade usada;
  • a data de fabricação;
  • o prazo de validade;
  • a presença de glúten, de laticínios ou de castanhas;
  • o peso;
  • a quantidade;
  • o nome de quem produziu;
  • os dados de contato.

Tome cuidado extra com os alimentos feitos na hora

Se o seu site vai comercializar produtos feitos na hora — como pizzas, doces, sanduíches e outros lanches —, tome cuidado com o sistema de transporte.

 

Faça uma pesquisa sobre os horários que os consumidores mais fazem esse tipo de pedido e reforce o time de entregas para que os alimentos não fiquem aguardando por muito tempo para serem consumidos.

 

Além de afetar o paladar, alimentos que ficam prontos e demoram para serem consumidos podem azedar.

Verifique o melhor sistema de entregas

As entregas podem ser feitas por uma frota própria – que muitas vezes pode ser pequena ou mesmo contar com apenas um veículo – ou por um serviço terceirizado. Antes de dar início ao seu comércio virtual, avalie custos e verifique qual é o melhor sistema para o seu negócio.

 

É preciso ter muito cuidado, principalmente se você trabalha com comida congelada, em que qualquer erro ou atraso pode estragar os produtos. Para decidir qual a melhor forma de entrega, tenha em mente as características do seu produto, como tamanho, peso, fragilidade e se deve haver controle de temperatura. Alimentos menores ou perecíveis podem ser entregues por motos, que são mais rápidas.

 

Você também pode terceirizar a entrega, que é uma forma de diminuir o preço do serviço para empresas que trabalham com grande número de pedidos. Uma frota particular vale mais a pena se a sua área de atendimento for restrita à pequenas distâncias.

 

Diferentemente de produtos não-perecíveis, as pessoas não estão dispostas a esperar muitos dias para receber o produto. Ou seja, você vai precisar de uma logística rápida e eficiente. Além disso, fique atento aos dias de maiores picos e prepare-se com antecedência.

 

Saiba mais sobre o tema e conheça algumas sugestões de como desenvolver uma política de trocas eficiente.

Escolha as embalagens ideais

Garanta que os seus alimentos cheguem perfeitos à casa do seu cliente escolhendo as embalagens certas para cada produto. O aspecto de um alimento comprado à distância deve ser o melhor possível, afinal você não tem oportunidade de criar pratos elaborados para impressionar o cliente. 

 

As embalagens devem ser grandes o suficiente grandes para preservar as propriedades dos alimentos e não danificar suas mais variadas formas.

Tenha cuidado ao armazenar

Todas as fases da produção e venda dos seus produtos são importantes. O momento de armazenamento também é importante e indispensável para garantir a qualidade do produto na entrega ao cliente.

 

Preocupe-se com a forma como guarda sua matéria-prima e seu produto pronto, pode ser exigida uma temperatura adequada, por exemplo.

Comprometa-se com a segurança alimentar

Se você trabalha com venda de pratos congelados, por exemplo, precisa seguir todas as regras da Anvisa e da Vigilância Sanitária para a preparação dos alimentos.

 

Também é importante mostrar para o consumidor que você se compromete com a segurança dele, isso faz com que ele deposite mais confiança no seu produto e sinta-se mais seguro para efetivar uma primeira compra e possíveis outras compras.

Use fotos atrativas

Quem nunca ouviu a expressão “comer com os olhos”? Pois bem, essa é uma grande verdade e ela pode ser uma estratégia usada por você em sua loja virtual. Nós nos sentimos atraídos por imagens de alimentos, tanto que muitas vezes compramos algo sem ao menos estar com fome. 

 

Use isso a seu favor e prepare fotos bem produzidas e chamativas. Só tenha cuidado para não tratar demais as imagens e deixá-las muito diferentes do que seu produto é de verdade. Isso pode causar uma má impressão quando o cliente receber o alimento.

Invista em um bom atendimento

Ter um bom atendimento é uma característica básica para qualquer negócio. Um bom atendimento garante satisfação e fidelidade do cliente. Procure diversificar os canais de atendimento, como WhatsApp, redes sociais e telefone, sempre pensando que deve manter a qualidade em todos eles. Também é interessante disponibilizar um chat diretamente no seu site para o visitante tirar dúvidas sem sair da sua página.

 

Existem diversos fatores que ajudam a determinar uma boa experiência de compra, e é por isso que neste post, apresentamos 14 dicas essenciais para você utilizar em seu e-commerce!

 

Não se esqueça de inscrever em nosso blog. Toda semana temos vários posts com muitas dicas e novidades para fazer o seu negócio ir a mil! Siga a gente em nossas redes sociais  também:  Twitter,  Facebook,  InstagramLinkedIn YouTube.


Comentários

Comentários

Giovanna Quaresma
Graduando Letras na UFMG, estagiária no time de Marketing e Comunicação na iSET e amante de gatos.
Post criado 111

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo