Capital de giro: entenda o que é e como calcular

capital-de-giro

Nesse artigo você vai aprender:

Para um negócio se manter ativo, é preciso que exista um planejamento financeiro com relação à capital de giro, ou seja, o valor disponível para que a operação não pare de funcionar por falta de recursos financeiros.

Neste artigo, vamos entender o que é o capital de giro em um negócio e como se faz para calcular da maneira correta. Continue a leitura.

 

Antes de tudo: o que é capital de giro?

De maneira geral, o capital de giro é o valor que a empresa precisa para fazer a operação continuar em funcionamento.

O capital de giro envolve dar conta dos custos operacionais, como, por exemplo, os salários dos funcionários, tributos, energia, aluguel, compra de estoque e outros custos fixos.

Ou seja, o capital de giro é aquele valor para pagar as contas, manter o negócio ativo e ter pequenas movimentações do dia a dia.

 

Quais são os tipos de capital de giro?

O capital de giro se subdivide em diferentes tipos. Entenda as diferenças:

  • Capital de Giro Líquido: recursos financeiros da empresa como bens e imóveis;
  • Capital de Giro Negativo: é quando os recursos disponíveis não são suficientes para quitar os débitos existentes;
  • Capital de Giro Próprio: como o próprio nome já indica é o capital da própria empresa disponível, sem precisar de empréstimos de terceiros;
  • Capital de Giro associado a investimentos: capital destinado para cobrir despesas que a empresa terá ao fazer determinado investimento, como um financiamento, por exemplo.

 

Como calcular o capital de giro?

De maneira geral, o capital de giro é influenciado pelo volume de vendas, compras, prazos de estocagem e pagamento a fornecedores, ou seja, está diretamente ligado ao fluxo de caixa.

Por isso, o número vai variar conforme o tipo do negócio, se for uma micro ou uma grande empresa.

Porém, o cálculo é feito a partir de uma fórmula utilizada para calcular o capital de giro líquido (CGL), que é simples e direta: CGL = AC – PC.

  • Ativo Circulante: AC corresponde a ativo circulante (investimentos).
  • Passivo Circulante: PC corresponde a passivo circulante (fontes de recursos).

 

Mas para realizar o cálculo de maneira mais precisa, é preciso manter o fluxo de caixa organizado e acompanhar os lucros da empresa para estabelecer o tempo que o recurso deve durar até sua próxima reposição.

 

 

Como manter o capital de giro?

O capital de giro é um recurso necessário para manter a saúde financeira do negócio. Ele deve entrar no planejamento e para manter esse valor ativo é importante evitar gastos extras.

É importante monitorar os gastos do dia a dia e elaborar planos contábeis com frequência para manter o valor de capital de giro ativo.

 

Qual a importância do capital de giro para o negócio?

Partindo do princípio que o negócio precisa fazer circular o dinheiro para obter lucro, o capital de giro é de fundamental importância para que a operação continue acontecendo mesmo nos meses em que o lucro não for alcançado.

Ou seja, mesmo sem lucro, o negócio pagou as suas contas no mês. Outras vantagens são:

  • Traz mobilidade de vendas: o maior valor de capital parado muitas vezes é o estoque, e é por isso que o objetivo do comércio é efetuar as vendas primeiro, para que o capital imobilizado possa gerar lucro ao ser vendido. Mas como muitas vezes o cliente paga pelo produto de maneira parcelada, o negócio precisa ter um valor residual para manter as contas e os fornecedores sendo pagas, mesmo não recebendo todo o valor;
  • Evita conta negativada: o capital de giro ganha importância, pois ajuda o negócio a não ter uma conta negativa, mas sim, manter as suas contas pagas. Todo o negócio precisa prever em seu planejamento inicial um valor para capital de giro;
  • Equilibra as contas: manter uma quantia no capital de giro também traz segurança ao gestor, como maneira de equilibrar as contas e não se preocupar com a manutenção do negócio e pequenos custos extras durante o mês. É como no planejamento financeiro pessoal, se não houver a previsão de um capital de giro para pagar as contas e passar o mês, acabará recorrendo a empréstimos, e isso não é positivo para quem deseja fazer planejamentos e investimentos futuros.

 

 

Gestão integrada para manter a gestão financeira

Para controlar a gestão administrativa e financeira do negócio, é preciso contar com a tecnologia de um sistema de gerenciamento ERP online e com armazenamento em nuvem.

Uma forma de sincronizar informações, automatizar vendas, pagamentos e entregas dos produtos.

O software registra informações de clientes, fornecedores, produtos, vendas, compras para poder acompanhar o fluxo de entradas e saídas, gerando relatórios para a contabilidade.

Se ainda não é cliente Bling, faça um teste grátis por 3 meses utilizando o cupom #iset e experimente a ferramenta, na prática.

 

Leia também:

Não se esqueça de se inscrever na nossa Newsletter! Toda semana temos vários posts com muitas dicas e novidades para fazer o seu negócio decolar!

Compartilhe esse conteúdo!

Não perca nenhuma novidade!

Inscreva-se em nossa newsletter para receber em seu e-mail as novidades e posts recentes da iSET

Novidades iSET

Nossas redes sociais