fbpx

De acordo com um estudo da empresa americana AppsFlyer, os downloads de aplicativos de compras no Brasil cresceram 100% durante a pandemia do novo coronavírus. No ano passado, por exemplo, as compras via aplicativos de varejo subiram 84%, mas nos últimos meses o aumento de compras feitas por aplicativos já aumentou o suficiente para indicar um sucesso ainda maior para as varejistas na Black Friday deste ano.

 

A Black Friday de 2020 deve ser a maior de todos os tempos. Segundo o mesmo estudo, o motivo para esse aumento significativo é o fato de os brasileiros terem se acostumado a fazer compras online em aplicativos ou em lojas virtuais, ao mesmo tempo em que empresas se digitalizaram rapidamente para não fecharem. 

 

Sendo assim, é possível perceber que a pandemia está acelerando o crescimento do comércio online. Neste sentido, com o amadurecimento dos profissionais de marketing e as maiores possibilidades que o mundo virtual oferece, cresceu o investimento nas plataformas de e-commerce.

 

Powered by Rock Convert

 

Leia também: 16 maiores dicas para a Black Friday da sua loja online

 

Sobre a Black Friday, os resultados de 2019 já foram bons, e somente nas primeiras sete horas de vendas da Black Friday no ano passado no e-commerce totalizaram R$ 362,1 milhões, segundo levantamento da Ebit/Nielsen. O número é 69% superior ao mesmo período de 2018. O volume de pedidos nestas sete horas, segundo o levantamento, foi de 448 mil, variação de 61% frente ao mesmo período de 2018 (278 mil).

 

Se a tendência for esse aumento, a Black Friday 2020 será a maior Black Friday de todos os tempos, e será muito maior ainda no mundo do e-commerce! Claro que também é importante analisar outros dados deste ano para saber o que está por vir.

 

Para começar, é importante verificar indicadores econômicos. Com o Índice de Confiança do Consumidor levemente mais baixo, a expectativa é que o desemprego suba (+13,6%, segundo dados de junho) e o PIB e o consumo recuam (-5,5% e -7,1%, respectivamente) em 2020.

 

Infelizmente, a crise sobre a economia pode causar impacto. Porém, ainda assim podem existir oportunidades, mas para aproveitá-las é preciso estar preparado. É importante ressaltar que houve aumento das vendas de categorias das quais o público não costumava comprar pela internet durante os meses de pandemia.

 

Antes da pandemia, o e-commerce representava 7% de todo o varejo do Brasil. Em maio chegou a representar 13%. Isso apenas mostra que o e-commerce vem ganhando muita relevância e deve aumentar ainda mais nesse ritmo, crescendo 59% ano a ano.

 

Outro aumento foi no número de consumidores online. 2019 encerrou com quase 11 milhões de novos compradores. Em 2020, dados apontam mais de 5 milhões de novos consumidores online somente no começo da pandemia.

 

Baixe o maior comparativo das plataformas de e-commerce SMB do Brasil para criar uma loja virtual!

 

O que podemos supor é que a Black Friday vai ocorrer em um momento entre a pausa causada pela pandemia e a retomada de atividades. E, claro, o comportamento do consumidor não será o mesmo. São três os principais estímulos que levam o cliente a fechar uma compra: necessidade, indulgência e entretenimento. Pensando nisso, em nosso contexto, a Black Friday desse ano vai ser menos sobre consumismo e mais sobre boas oportunidades de negócio.

 

Leia também: Comece já a se preparar a Black Friday

 

Com a pandemia, o comércio digital começou a ter uma influência ainda maior na jornada de compra. Pode-se dizer até que algumas categorias do e-commerce têm vivido uma Black Friday todos os dias. Isso quer dizer que estamos em um crescimento tão grande e acelerado que, mesmo antes de novembro, já superamos a Black Friday de 2019!

 

Por outro lado, pode ser que o mesmo não aconteça no varejo físico. De acordo com Rodrigo Chamorro, líder de Insights para Varejo do Google Brasil, mesmo com a retomada parcial das atividades do comércio físico, ele ainda não conseguiu se recuperar totalmente. Dados apresentados dizem que 70% das pessoas passam menos tempo em lojas, 62% evitam tocar produtos, 42% ficam nervosas ao entrar na loja e 50% dizem que comprar em um ponto de venda físico é mais estressante do que comprar online.

 

Em compensação, os meios digitais receberam 7,3 milhões de novos clientes até agora e quem já era adepto passou a comprar mais. 54% dos consumidores aumentaram a frequência das compras online, enquanto 38% passaram a comprar itens que costumavam adquirir pessoalmente.

 

Além disso, surge também um novo perfil de clientes. São formados por mais de 1/3 dos consumidores que, mesmo após a reabertura das lojas físicas, seguirão usando o digital como canal principal.

 

Se você chegou a conclusão de que existe algo errado com a qualidade no atendimento ao cliente da sua empresa, essas 5 dicas certamente irão te ajudar bastante!

 

44% acreditam que não há motivo para comprar algo em uma loja física quando podem comprar online, enquanto 56% gostam de pesquisar e descobrir novos itens online em vez de passear por uma loja física.

 

Portanto, no meio de todas essas boas notícias para quem vende online, é fundamental já se preparar para a Black Friday 2020. Aposte na diferenciação, apenas preços baixos não irão atrair os clientes, eles estão cada vez mais exigentes!

 

No passado, bons preços e promoções atrativas eram vistos pelos consumidores como um diferencial; hoje, as ofertas continuam sendo o centro do evento, mas passaram a ser vistas como o básico, o mínimo necessário; sabia?

 

Sendo assim, separe as áreas do seu negócio online para focar e comece logo a se planejar. Você pode optar por se diferenciar na área financeira, logística, de serviços e de experiência do cliente e de compra, por exemplo.

 

Na financeira, as promoções continuam em alta. Os cupons são os preferidos, mas o cashback, solução que oferece dinheiro de volta para o cliente após a compra, começa a ganhar espaço. 

 

Na diferenciação logística, o frete com certeza é o ponto mais importante. Frete grátis também é um benefício financeiro, mas entrega rápida é outro fator decisivo para o cliente fechar a compra, então é fundamental oferecer opções que atendam a estas expectativas.

 

Leia também: Como preparar o frete da loja online para a Black Friday

 

Sobre os serviços, pense no restante do e-commerce. Uma diferenciação é o benefício concedido ao cliente de parcelar a compra em mais vezes, escolher o melhor meio de pagamento, ter segurança contra fraudes virtuais e descontos adicionais para pagamentos à vista, como exemplo.

 

Existem diversos fatores que ajudam a determinar uma boa experiência de compra, e é por isso que neste post, apresentamos 14 dicas essenciais para você utilizar em seu e-commerce!

 

Por fim, mas não menos importante: experiência do cliente e de compra. A Black Friday deve receber um consumidor mais desafiado, planejado, cauteloso e online. As expectativas são altas e as possibilidades diversas. Então, como este é um assunto muito complexo e essencial para o sucesso do seu e-commerce na Black Friday, recomendo que leia este post completo sobre: “14 dicas para aumentar a experiência de compra e satisfação do seu cliente”!

 

Leia também: Curso online: guia completo do e-commerce para a Black Friday

 

Não se esqueça de inscrever em nosso blog. Toda semana temos vários posts com muitas dicas e novidades para fazer o seu negócio ir a mil! Siga a gente em nossas redes sociais  também:  Twitter,  Facebook,  InstagramLinkedIn YouTube.


Comentários

Comentários

Giovanna Quaresma
Graduando Letras na UFMG, estagiária no time de Marketing e Comunicação na iSET e amante de gatos.
Post criado 128

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo