fbpx

Como calcular frete: entenda tudo sobre frete e otimize sua logística

Há questões acerca da cobrança de um serviço de transporte que ainda geram dúvidas entre gestores e empreendedores. Entre as principais estão os tipos existentes, como calcular frete, a influência na compra e como pode ser utilizado para otimizar a logística.

 

Neste artigo vamos falar sobre frete de forma bem detalhada, apresentando as questões acima e algumas dicas sobre como oferecer promoções relacionadas a valores de entrega para seus clientes. Quer ficar por dentro desse assunto? Então continue acompanhando a leitura e confira agora mesmo!

Conheça os tipos de frete

Quando se fala em tipos de frete, podemos nos referir à responsabilidade pelo serviço, ao tipo de contratação e ao tipo da carga. Dessa forma, vamos dividir esses aspectos em 3 frentes:

Responsabilidade pelo frete

CIF

O frete CIF (sigla em inglês para Custos, Seguro e Frete) determina que a responsabilidade sobre o pagamento do frete e gerenciamento de riscos seja do remetente da carga.

 

Nesse caso, o pagamento é feito na origem do transporte e o trabalho do cliente é somente o de efetuar a compra. O compromisso do embarcador com a carga só finaliza quando ela é recebida no destino final.

 

É o tipo de frete mais utilizado nas relações comerciais.

 

Sabia que criar uma loja virtual é muito mais fácil que você imagina?

FOB

Já no frete “livre a bordo” é o cliente que fica responsável por efetuar o pagamento — tanto do frete quanto do seguro — da carga. Nesse caso, o pagamento é efetuado com o recebimento do pedido.

Tipo de contratação

Já no que diz respeito ao tipo de contratação, esse procedimento está ligado à quantidade de terceiros que são envolvidos no transporte. Saiba mais:

Normal

Se dá quando uma transportadora é contratada pela empresa para realizar o transporte e coleta a carga na sua origem e a entrega no destino final, sendo a única a percorrer o trajeto. Como o nome sugere, é um dos tipos de frete mais contratados no mercado.

Subcontratação

Na subcontratação, a transportadora contratada opta por solicitar que uma outra empresa faça o transporte. Essa estratégia é adotada para que se consiga ampliar a abrangência das regiões atendidas, oferecendo prazos satisfatórios e eficiência no processo.

Redespacho

Já no caso do redespacho, existem duas transportadoras fornecendo o serviço, sendo que:

 

  • a transportadora acionada pelo cliente percorre o trecho de A até B;
  • seu parceiro de negócios fica responsável por finalizar o transporte do trecho B até C.

Esse tipo é bem parecido com a subcontratação, porém com a diferença de que são duas empresas realizando o transporte.

Redespacho intermediário

O redespacho intermediário é um pouco mais complexo: envolve mais transportadoras, sendo que duas delas são contratadas pela que foi acionada pelo cliente. Um bom exemplo desse tipo de processo é:

 

  • transportadora 2 faz o percurso de A até B;
  • transportadora 1 (contratada pelo embarcador) vai de B até C;
  • transportadora 3 percorre o trajeto de C até D, que pode ser o destino final.

Característica da carga

Já esse tipo de frete é definido de acordo com a característica da carga e é dividido por 2 grupos:

Lotação

Também é conhecida como “carga fechada”. Compreende o envio de um grande volume, que geralmente ocupa a capacidade total do veículo e sai da origem direto para o destino.

 

Torne-se uma agência parceira na iSET e receba excelentes vantagens exclusivas!

Fracionada

Já as cargas fracionadas (casos de operações de e-commerce, por exemplo) são aquelas formadas por muitos pedidos de pequenos volumes, atendendo a diversos clientes.

 

Sendo assim, existem vários pontos de atendimento durante o transporte, o que requer um planejamento de rotas eficaz para atender a todos com um prazo satisfatório e um custo razoável.

Como calcular o frete?

É difícil determinar, com exatidão, quais são as variáveis envolvidas no cálculo de frete. Isso se dá pelo fato de que as transportadoras utilizam métodos diferenciados e possuem particularidades nas operações — além de os custos e a margem de lucros serem diferentes para cada uma.

 

Entretanto, é possível definir quais são os aspectos básicos considerados na conta. Os principais são:

Frete Peso

Esse é um dos pontos principais no que diz respeito ao cálculo de frete. A ideia do frete peso é encontrar o maior número entre o peso bruto e o peso cubado (multiplicação das dimensões da embalagem do produto) e, então, fazer a cobrança em cima desse superior.

 

O objetivo, com isso, é equilibrar a cobrança, evitando duas situações:

 

  • cargas muito volumosas, mas que pesam pouco: ocupam rapidamente o espaço dentro do veículo, mas não alcançam a capacidade em peso;
  • cargas pequenas, mas muito pesadas: ocupam pouco espaço, mas chegam no limite de peso rapidamente, impedido que o veículo seja totalmente carregado.

Frete Valor

O frete valor, como o nome sugere, é calculado com base no valor descrito na NF-e. Com a identificação do valor da carga, é possível saber se os itens são valiosos (o que encarece o custo do seguro) e se necessitam de cuidados especiais.

Distância percorrida

Essa variável também é uma das mais básicas na hora de calcular o frete e também é conhecida como “frete por km rodado”. A relação entre o valor e a distância percorrida é diretamente proporcional, ou seja, quanto maior for o trajeto, mais elevado será o custo do serviço.

Características do destinatário

Existem transportadoras que também consideram as características do destinatário na hora de formar o preço do serviço. Nesse caso, são avaliadas a periculosidade e a dificuldade no acesso. Caso esses desafios existam, é cobrada uma taxa extra sobre o frete (sobre a qual falaremos posteriormente).

 

Participe do programa de afiliados da iSET e receba excelentes comissões!

Modal de transporte

O modal de transporte também afeta o valor do frete. A grande maioria das cargas no Brasil é enviada pelo rodoviário, mas existe um percentual que é remetido pelo aéreo (como no caso de cargas urgentes), que, apesar de mais rápido, é mais caro.

Características da carga

Produtos perigosos, perecíveis, medicamentos, cargas vivas e refrigeradas são alguns dos exemplos de itens especiais que necessitam de cuidados específicos durante o manuseio e transporte.

 

Isso encarece o frete devido ao fato de ser preciso investir em embalagens reforçadas e especiais, veículos adaptados e transporte mais ágil, por exemplo.

Taxas específicas

Além desses fatores, o custo do frete também pode ser composto por algumas taxas que, dependendo da transportadora, serão cobradas. É importante observar essa questão no momento de realizar a contratação. Entre as principais cobradas no mercado, podemos citar:

 

  • taxa de coleta e entrega: cobrada dependendo da distância entre o ponto de coleta e o local onde a transportadora está localizada. Possui a finalidade de cobrir os custos com deslocamento;
  • taxa de restrição do trânsito (TRT): para locais, como grandes centros urbanos, em que existem leis que restringem a circulação de veículos de grande porte e os processos de carga e descarga. A ideia é cobrir os gastos que a transportadora possui para adaptar as operações;
  • taxa de dificuldade na entrega (TDE): é a taxa cobrada no caso de locais que possuem difícil acesso, ou são perigosos, por exemplo (aumentando o risco de extravios);
  • taxa de reentrega: quando, por algum motivo, o cliente não recebe a mercadoria na primeira tentativa. É cobrada para cobrir os custos de um reenvio.

Frete mínimo

Algumas transportadoras estabelecem um peso mínimo (normalmente de 50Kg) por pedido para realizar o transporte. Sendo assim, quando os itens não alcançam essa meta, o valor do frete considera o peso mínimo.

 

Essa é uma das maneiras de cobrir os custos operacionais do envio, que são altos, mesmo para produtos muito pequenos.

Gerenciamento de risco

O gerenciamento de risco no transporte é o processo responsável por identificar ocorrências que podem afetar o rumo das atividades e impactar negativamente nos resultados. Além disso, também dedica os esforços na elaboração de ações para eliminar ou minimizar os efeitos dessas ocorrências.

 

Isso envolve a contratação de seguros, cujos custos também são repassados ao valor do frete. Os principais (exigidos por lei) são:

GRIS

É uma taxa cobrada com a finalidade de cobrir os custos que a transportadora possui para o combate ao roubo e furto de cargas. O valor é definido com base em um percentual sobre a NF-e.

Ad Valorem

Já o Ad Valorem é um tipo de seguro que tem como objetivo acobertar cargas que ainda não estão em trânsito.

 

Além dessas opções, as transportadoras também podem investir em outros tipos de seguros e medidas de segurança que ajudem a minimizar os riscos. Entre as opções estão o rastreamento de veículos e escolta armada (dependendo do tipo de produto transportado).

 

Vale lembrar que, é claro, cada um desses diferenciais encarecem o valor do frete que será repassado para o cliente final.

 

Seja uma agência parceira da iSET e receba benefícios exclusivos!

Tributos e pedágios

Por fim, também incide na cobrança os pedágios (existentes em algumas rotas) e o ICMS, imposto cobrado em operações de transporte (intermunicipal e interestadual).

O quanto o frete influencia na compra?

Uma quantidade considerável de possíveis clientes abandona o carrinho devido ao alto custo de frete. Nesse sentido, pode-se dizer que o valor da entrega, informado na hora de finalizar a compra, possui um peso grande na decisão de concluir a aquisição ou procurar outros sites.

 

Uma forma de contornar essa situação — além de estabelecer parcerias com transportadoras que conseguem entregar um serviço de qualidade por um preço justo — é oferecer mais de uma opção de frete e dar ao consumidor o poder de escolha.

 

Assim, ele pode priorizar preço ou agilidade, por exemplo. Algumas das opções mais comuns são:

Frete econômico

Nessa opção, a loja virtual oferece um valor mais baixo, buscando atender os clientes que preferem pagar menos pelo frete e não possuem pressa para receber seus pedidos — já que é praticamente impossível conciliar agilidade e baixo custo.

Frete “normal”

Nesse caso, tanto o prazo estimado quanto o valor praticado estão dentro da média oferecida pelo mercado. Enquanto o preço é um pouco maior do que no frete econômico, o prazo, por sua vez, é menor.

 

É uma das opções mais buscadas pelos clientes, justamente pelo fato de que ambos fatores podem ser classificados dentro do que se chama de satisfatório — considerando o custo-benefício.

Frete de urgência

Já essa modalidade busca atender aquele cliente imediatista, que quer realizar as compras e receber o produto no menor tempo possível — o que também pode ocorrer em caso de datas comemorativas, ou cargas especiais (flores e perecíveis, por exemplo).

 

Como é de se esperar, a redução no prazo de entrega vem com um aumento no custo do serviço.

Same day delivery

A “Entrega no Mesmo Dia” é uma opção nova no Brasil e ainda pouco praticada — principalmente em decorrência da extensão territorial que o país possui. Por enquanto ela pode ser encontrada nas grandes capitais.

 

A ideia aqui é entregar o pedido para o cliente no mesmo dia em que a compra foi confirmada. Para aquele público com um senso de urgência maior, essa estratégia pode representar o diferencial do seu negócio e possibilitar a fidelização dessas pessoas.

Entenda como economizar no frete da sua loja virtual

Como dito anteriormente, o valor do frete pode causar perdas nas vendas. Se, por outro lado, se decide contornar esse problema absorvendo parte do valor e repassando somente uma fração para o consumidor, a empresa corre o risco de sofrer com prejuízos operacionais.

 

Sendo assim, o ideal é buscar meios de economizar com esse processo e melhorar os resultados (tanto em vendas, quanto no financeiro). Pensando nisso, separamos 6 dicas que podem ajudar a alcançar esse objetivo. Saiba quais são:

1. Planeje e monitore os gastos com frete

A definição de um planejamento é crucial para o sucesso de qualquer atividade. Nesse caso, o ideal é determinar qual parcela do orçamento será utilizada para cobrir os gastos com transporte durante determinado período.

 

É importante criar metas realistas, que estejam dentro da realidade do negócio. Objetivos muito amplos podem fazer com que os gastos sejam maiores do que o ideal, enquanto os muito baixos podem estourar o orçamento.

 

Depois, com o monitoramento dos gastos, torna-se possível saber quais deles são excessivos e quais ações podem ser adotadas para reduzi-los. Essa é uma maneira estruturada de fazer cortes sem o risco de prejudicar a qualidade do serviço.

 

Aproveite 30 dias grátis na nossa plataforma para criar sua loja virtual!

2. Dê prioridade aos serviços com preço mais acessível

Uma excelente estratégia para melhorar os preços é incluir diversas opções em uma cotação. Isso aumenta o seu poder de barganha e permite negociar melhores condições para a prestação do serviço.

 

Da mesma forma, passa-se a ter mais opções na hora de escolher qual transportadora atenderá determinada região. O detalhe é sempre tomar cuidado de verificar a reputação dos parceiros de negócio — mais importante do que o preço, é entregar um serviço de qualidade e garantir a satisfação dos clientes.

3. Contrate parceiros de confiança

Por falar em avaliar a reputação, esse é apenas um dos critérios que devem ser considerados na contratação de fornecedores de serviços de transporte. Entre os principais, que precisam ser analisados, podemos citar:

 

  • tradição da empresa no mercado;
  • prazos (de entrega e para pagamento das faturas);
  • condições de pagamento;
  • investimento em tecnologia;
  • tratativa no caso de ocorrências (avarias, extravios, atrasos, devoluções).

É importante deixar claro um acordo de nível de serviço na hora de fechar o contrato e, principalmente, estabelecer multas no caso de descumprimento. Ainda que a satisfação dos clientes seja prejudicada, essa é uma maneira de o e-commerce se resguardar de prejuízos financeiros (como no caso de avarias e extravios, por exemplo).

4. Invista em uma solução que ajude a controlar os custos

Para diminuir os custos com eficácia, é preciso primeiro conhecê-los e entender o motivo de tal valor. Se você não conhece como o dinheiro é gasto, dificilmente conseguirá criar ações acertadas para promover a redução.

 

Nesse sentido, utilizar um sistema de gestão que ajude a acompanhar os custos e ainda permita a geração de relatórios a respeito dos resultados é uma alternativa para aumentar o controle e ter uma visão mais ampla sobre essas questões.

5. Acompanhe indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho são utilizados com a intenção de analisar os resultados dos processos e se eles estão dentro do que é esperado. Essa ferramenta de gestão é uma grande aliada dos gestores, já que permite verificar se os recursos e esforços dedicados nas atividades foram suficientes para alcançar os objetivos.

 

Dentro do contexto do custo de frete, pode-se acompanhar alguns indicadores como:

 

  • frete sobre o valor do faturamento;
  • por produto;
  • por região;
  • custo de trocas e devoluções;
  • custo de reentregas.

Com essas informações já se torna possível identificar os gargalos mais determinantes, suas possíveis causas e quais medidas precisam ser adotadas para eliminá-los — e isso envolve a redução de erros, eliminação de desperdícios e tarefas que não agregam valor, aumento da eficiência e produtividade, entre outros aspectos.

 

Crie sua loja virtual por apenas R$69/mês na iSET!

As melhores práticas para fazer promoções com frete

Fazer promoções com o valor de frete é outra opção para diminuir o custo para o cliente e tornar a venda mais atrativa, alavancando os resultados. Entretanto, essa estratégia deve ser cuidadosamente planejada, pois existe o risco de diminuir os preços, mas a empresa ter que arcar com os custos referentes a eles.

 

Sendo assim, deve-se observar alguns cuidados básicos, como:

Analisar as finanças da empresa

Primeiramente é necessário estudar a saúde financeira do negócio. Isso inclui ter conhecimento sobre o faturamento, a lucratividade, os recebimentos, entre outros pontos.

 

Isso é necessário pois, mesmo que o valor faturado seja satisfatório, vale lembrar que a quantia pode ser recebida em parcelas e que os custos elevados comprometem a margem de lucro.

 

Essa análise é que vai determinar se o seu e-commerce possui condições de absorver o valor, que não será repassado para os clientes, ou se existe a possibilidade de haver prejuízos.

Definir a fatia do lucro que será perdida

Oferecer uma promoção de frete para os clientes significa que sua empresa precisará assumir esse custo. Um custo a mais para o negócio é sinônimo de uma lucratividade mais baixa.

 

Em outras palavras, será necessário definir quanto do lucro será perdido e se esse valor é compensatório, comparando ao retorno que é esperado.

Determinar como a promoção será aplicada

Depois que as questões financeiras já foram observadas, é o momento de definir como a promoção será aplicada. Para isso, existem algumas opções como:

 

  • frete grátis: é a alternativa mais atraente para os clientes, mas é a mais onerosa para o negócio, que precisa absorver todo o custo do transporte;
  • desconto por valor mínimo: algumas lojas utilizam essa estratégia. Um bom exemplo são aquelas promoções que dizem “frete grátis para compras a partir do valor x”;
  • frete reduzido: nesse caso, a loja virtual arca com uma parte do custo e repassa apenas o restante para os clientes;
  • frete VIP: essa estratégia pode ser benéfica de duas formas diferentes. Ao mesmo tempo em que se dá descontos para um grupo de clientes que mais compram, eles passam a se sentir importantes para o negócio, o que aumenta as chances de fidelização.

A escolha do melhor método normalmente está ligada com a estratégia do seu negócio e o que a condição financeira permite aplicar. Vale lembrar que, se possível, pode-se investir em mais de uma opção, tornando a promoção ainda mais abrangente e atraindo um público maior.

Divulgar a ação promocional

Por fim, é o momento de investir na divulgação da promoção de frete. É assim que sua loja consegue alcançar os clientes e chegar a outros públicos que visitarão o site e podem se tornar novos consumidores.

 

As redes sociais são uma excelente alternativa para colocar isso em prática: são gratuitas e possuem grande abrangência, já que mais pessoas podem visualizar os anúncios, além dos seus seguidores.

 

Como podemos ver, saber como calcular frete e quais questões estão envolvidas é fundamental para tomar decisões mais acertadas, melhorando o desempenho financeiro, ao mesmo tempo em que se ganha em qualidade nos serviços de transporte. Assim, a loja virtual consegue se tornar mais competitiva, garantindo a satisfação dos seus clientes e atraindo um público cada vez maior.

 

Saiba como fazer o seu e-commerce decolar nas vendas!

 

Gostou do nosso post de hoje? Quer continuar acompanhando outros conteúdos e dicas voltados para o e-commerce? Então assine a nossa newsletter e receba as novidades em primeira mão no seu e-mail!


Comentários

Comentários

Autor convidado
Os autores convidados do blog iSET são aqueles fazem parceria de Guest Post!
Post criado 96

Um comentário sobre “Como calcular frete: entenda tudo sobre frete e otimize sua logística

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo