4 erros comuns que você precisa evitar ao abrir um e-commerce

Crise econômica? Não para quem deseja abrir um e-commerce. De acordo com dados do E-bit, o setor faturou aproximadamente R$ 10 bilhões no primeiro semestre de 2016. Ao todo, somaram-se 24,45 bilhões de pedidos pela internet, e o ticket médio do período aumentou em 7%, passando de R$ 373,00 para R$ 399,00. Com isso, o segmento ganha viabilidade, principalmente frente ao varejo off-line que, infelizmente, não tem apresentado os mesmos resultados.

É claro que, apesar de esse ser um excelente modelo de negócios, é muito importante que o gestor comece com o pé direito. Afinal, muitas empresas fecham as portas por conta de uma falta de planejamento, tanto operacional, quanto financeiro. Para ajudá-lo a não cometer nenhuma gafe nas fases iniciais, resolvemos trazer, nesse post, uma lista com erros ao abrir um e-commerce. Confira a seguir:

Não realizar um planejamento

Em primeiro lugar, é importante que você dedique bastante tempo ao planejamento estratégico do seu e-commerce, que, nas fases iniciais, se chama plano de negócios. Em uma parte mais abstrata, você deve definir quais serão os objetivos e metas da empresa, a missão e a visão de negócios, os valores e a cultura organizacional que deseja implementar.

Já em um olhar mais prático, você deve verificar qual será a estratégia de marketing a ser utilizada (no e-commerce, o marketing digital está com tudo), os servidores que utilizará, os produtos que serão vendidos, os processos, entre outras coisas.

Não garantir a segurança

Pode ter certeza, a cada dia, o consumidor está mais desconfiado. Por isso, ele prefere optar por sites que possam garantir a sua segurança ou que, simplesmente, tenham alguma confiabilidade — como é o caso dos grandes sites de vendas. Por isso, é muito importante que você tenha um sistema que garanta não só as informações do seu negócio, como também dos clientes.

Investir em uma landing page criptografada já é um bom começo, mas não para por aí. Você também deve definir um cadastro simples, que não pareça muito invasivo para o cliente. Por fim, mesmo que a sua empresa passe por gateways de segurança, como o PagSeguro, por exemplo, é importante garantir o certificado de segurança.

Não investir no layout e na responsividade

O site não pode apenas ser seguro, ele precisa aparentar essa segurança. Pode ter certeza que muitos negócios serão perdidos se o consumidor não se sentir à vontade para comprar com você. Por isso, é altamente recomendado procurar empresas que realizem sites de qualidade, dando atenção tanto à parte operacional — como a segurança, o sistema de pagamento, entre outros — quanto ao design.

Além disso, é muito importante que o site seja intuitivo. Quanto menos etapas, botões ou quaisquer outros tipos de interação que possam distrair o seu consumidor, melhor. O foco deve ser no call to action, que é o botão de compra.

Não apostar no marketing

Por fim, é importante deixar claro que o marketing é uma importância vital para o e-commerce — mais do que para um varejo off-line, por exemplo. Deve fazer parte de todo o planejamento do negócio. E a melhor forma para se fazer marketing nesse segmento é apostar no marketing digital.

Estratégias como links patrocinados, mídias sociais, marketing de conteúdo e SEO são indispensáveis para que a sua loja virtual possa atingir novos patamares. Portanto, abandone agora mesmo a ideia de que marketing é custo e pense nele como um investimento!

Agora que já descobriu os principais erros dos varejistas on-line, veja qual é a importância dos termos de uso para o e-commerce!


Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email

Não perca nenhuma novidade!

Inscreva-se em nossa newsletter para receber em seu e-mail as novidades e posts recentes da iSET

Novidades iSET

Nossas redes sociais