SSL ou antifraude? Ao criar um sistema web, muitas pessoas ficam em dúvida sobre qual das soluções de segurança utilizar. O aumento das transações feitas pela internet para a compra de produtos aumentou o interesse de pessoas má intencionadas em busca de métodos de captura e roubo de dados.

 

Esse cenário de risco faz com que analistas de desenvolvimento web tenham que estar cada vez mais atentos à segurança. Trabalhar para que todas as trocas de informações sejam feitas sem problemas aumenta a competitividade de uma loja virtual em um cenário de crise econômica. Quando um site faz uso de métodos como o sistema antifraude e o SSL, ele aumenta a confiança de seu usuário.

 

Se você quer conhecer as principais diferenças entre essas duas tecnologias, leia o nosso texto de hoje!

O que é o sistema antifraude?

O risco de fraudes faz parte da rotina de quem trabalha com transações na internet. De compras realizadas sem a autorização do dono do cartão ao pedido de ressarcimento mal intencionado, diversas são as possibilidades. Na maioria dos casos, o dono da loja virtual acaba arcando com o prejuízo sozinho.

 

Diante disso, estar pronto para identificar compras que possam resultar em prejuízos é indispensável. Com o uso de um sistema antifraude, o lojista contará com uma ferramenta segura para autorizar somente as vendas corretas. Por meio de redes neurais e algoritmos complexos de inteligência artificial, as informações sobre o cliente são verificadas.

 

Assim, após a definição do grau de risco da transação, a compra pode ser autorizada ou não. Dessa forma, o lojista diminui a possibilidade de sofrer algum tipo de golpe ou prejuízo.

O que é o SSL?

O armazenamento de dados traz uma grande responsabilidade para um site de vendas. Para garantir que o envio e recebimento dessas informações será feito em um ambiente seguro, o webmaster deve investir em um certificado digital SSL. Ele irá garantir a criptografia de todas as informações inseridas no site.

 

O SSL garante que as informações serão vistas apenas pelas pessoas corretas. Além disso, ele é uma maneira segura de prevenir roubos de dados. Hoje, existem 3 modalidades principais do certificado. São elas:

 

  1. SSL simples: realiza apenas a criptografia dos dados;
  2. SSL EV: faz a criptografia e permite ao cliente identificar que o seu site é seguro. Por meio dele, é possível identificar alguns dados da companhia responsável pelo endereço eletrônico, o que aumenta a confiança do consumidor;
  3. SSL wildcard: indicado para quem possui mais de um domínio, o wildcard permite a inclusão de novos subdomínios ao certificado sem custos adicionais.

Como ter um e-commerce mais seguro e confiável?

Investir na segurança do consumidor é fundamental para o sucesso de um site de vendas. Quanto maior a quantidade de transações on-line feitas em um site, maior é o risco dele ser atacado por criminosos em busca de vulnerabilidades. Para manter o seu sistema de transações on-line, existem diversas formas de proteção, sendo o SSL e a proteção antifraude duas das mais comuns.

 

O ideal é que o webmaster faça uso de ambas. Como elas atuam de forma diferente, juntas, poderão aumentar a segurança do site como um todo. Assim, mesmo que alguém use métodos mais modernos para capturar informações, os sistemas de proteção poderão utilizar o método SSL ou antifraude conforme for necessário.

 

Quer estar sempre por dentro das últimas novidades sobre o desenvolvimento web? Então curta a nossa página no Facebook!

 

Não se esqueça de inscrever em nosso blog. Toda semana temos vários posts com muitas dicas e novidades para fazer o seu negócio ir a mil! Siga a gente em nossas redes sociais também:  TwitterFacebookInstagram eYouTube.


Comentários

Comentários

Compartilhe este conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email

Não perca nenhuma novidade!

Inscreva-se em nossa newsletter para receber em seu e-mail as novidades e posts recentes da iSET

Novidades iSET

Nossas redes sociais